A Páscoa em Goiânia

Foto: creative commons/Flickr

A Procissão do Fogaréu acontece anualmente durante a Semana Santa na Cidade de Goiás (ou Goiás Velho, antiga capital do Estado), a 142 quilômetros da capital Goiânia. Trata-se de um ritual que teve início na cidade em 1745 e revive a paixão e morte de Jesus Cristo. Cerca de 20 mil fiéis chegam a participar da procissão. À meia-noite da quinta para sexta-feira santa, 500 homens com tochas saem em procissão da Igreja Nossa Senhora da Boa Morte, acompanhados pelos sons de tambores. São acompanhados de 40 farricocos, homens com túnicas coloridas e brilhantes. Eles usam capuzes pontiagudos, apenas com aberturas para os olhos. Representam os soldados que prenderam Jesus.  A cidade fica completamente às escuras. A primeira parada, na Igreja do Rosário, representa a Última Ceia. O destino final é a Igreja de São Francisco, que representa o Monte das Oliveiras, local da crucificação.

 Na Semana Santa, as ruas do centro histórico e os casarões do século XVIII de Pirenópolis (GO) são palco das encenações dos rituais da morte e da ressurreição de Cristo. O destaque fica por conta das belas imagens e dos paramentos usados pelos fieis nas procissões.

 

A Páscoa no Mato Grosso do Sul


Pela proximidade com o Paraguai e também pelos vários centros de tradições paraguaias espalhadas pelas cidades do estado, o
Mato Grosso do Sul colocou no cardápio do feriado cristão a famosa chipa, uma versão do pão-de-queijo, só que temperado com ervas, e a sopa paraguaia – na verdade, uma torta à base de milho. 

 

 

A Páscoa no Pantanal

Na região do Pantanal, o tradicional bacalhau é substituído por peixes de água doce no almoço da Páscoa.

 

A Páscoa em Cuiabá

Famílias de Cuiabá mantêm vivo o costume de comer canjica no período da Páscoa. A simpatia diz que é preciso comer a canjica em sete casas diferentes e depois disso fazer um pedido.